Trama com as fotos de Nina expõe dificuldade do autor em esticar novela

terça-feira, 18 de setembro de 2012


As famosas “provas” de Nina contra Carminha seguem rendendo história em “Avenida Brasil”. Diariamente recebo e-mails ou mensagens no Twitter de espectadores indignados com o tratamento dado por João Emanuel Carneiro ao caso.

O argumento é sempre o mesmo: não faz sentido, em 2012, guardar fotos tão importantes como fez a mocinha da novela, deixando cópias com pessoas de sua confiança.

Seria muito mais seguro salvá-las em algum site na internet, criar um álbum numa rede social, enviar cópias por e-mail a quem quisesse… Qualquer coisa, menos imprimir e deixar envelopes na casa dos amigos.

Nina, moça moderna, bem informada, jamais faria a opção primária que fez. Não custa lembrar que, no início da novela, a personagem se aproximou da família de Tufão ficando amiga de Ivana em salas de bate-papo na internet.

É evidente que o autor sabe disso. Por que, então, foi por este caminho? Só vejo uma resposta: a necessidade de esticar a trama de “Avenida Brasil”.

As fotos apareceram pela primeira vez no capítulo 103. Nesta terça-feira, capítulo 152, Valdo (foto acima) vai roubar as últimas cópias das fotos. Ou seja, a história ainda rende.

Mais do que dar um ar anacrônico e inverossímil à novela, as cópias em papel das fotos de Nina expõem claramente as dificuldades do autor em desenvolver a própria história. Precisando enrolar, ele optou por um caminho ruim, que acabou irritando o espectador e colocou a qualidade do seu texto em questão.

Fica aqui o registro que a audiência reagiu mal a este período da novela. Segundo a coluna Zapping, o Ibope médio em setembro, contando os primeiros 13 dias do mês, foi de 36,7 pontos, índice que só perde para março, quando “Avenida Brasil” estreou e marcou 33,9 pontos.

Do blog de Maurício Styccer | Imagem: Divulgação TV Globo

1 comentários:

Anônimo disse...

Esta na hora de acabar essa tram,concordo esta sem lógica na atualidade fotos sumiram ea atriz não ter usado as redes sociais

Postar um comentário

leia também