"Estou vivendo um sonho", diz Marcos Mion sobre apresentar o "Ídolos"

domingo, 10 de junho de 2012

Aconteceu na manhã deste sábado (09) a primeira audição para a quinta temporada do “Ídolos”, em Salvador. Milhares de pessoas compareceram à seletiva, inclusive o apresentador Marcos Mion, que é estreante à frente do programa.

Ele conversou com a imprensa no local, e também com o NaTelinha. Mion contou como foi que surgiu o convite da Record e falou sobre a rotina apertada que terá, já que ficará com o “Ídolos” e o “Legendários”.

Confira na íntegra a entrevista:

NaTelinha - Agora você está à frente do Ídolos. Qual é o prazer de apresentar esse programa?

Marcos Mion - Está sendo uma grata surpresa, porque realmente a produção já tinha me avisado que a energia que a gente recebe das pessoas é demais. Tudo bem que aqui na Bahia o público já emana uma energia natural, mas você ver as pessoas correndo atrás dos seus sonhos, acreditando, lutando... é uma energia muito forte. Então a responsabilidade é muito grande, mas ao mesmo tempo é um prazer poder dividir essa energia. É um programa muito abençoado.

NT – Como foi que surgiu a proposta da Record para você comandar o “Ídolos”?

MM – Foi de uma forma muito natural. O Rodrigo (Faro) foi chamado para fazer um novo projeto e, infelizmente, ele não ia dar conta de “O Melhor do Brasil”, do “Ídolos” e do novo projeto. Então, a direção me chamou, me perguntando se eu gostaria de fazer. Eu falei: ‘tá de brincadeira, não é?’. Aceitei na hora, eu sempre adorei esse programa, sempre gostei de mais. Então, foi muito natural e é, com certeza, uma grande honra.

NT – Como ficará a rotina, já que você apresentará dois programas? Você está pronto?

MM – É difícil. Já estou sentindo que a rotina vai ser pesada. Será muito trabalho, muito avião. Mas eu também estou vivendo um sonho, estou correndo atrás do meu.

NT – Você trará um pouco da sátira da MTV, da crítica, que você fazia lá, apresentando programas musicais?

MM – Claro. Trabalhei com música durante muitos anos da minha vida, conheço muito de música, então obviamente que isso me ajuda. Mas eu, como apresentador, tenho a obrigação aqui de dar apoio aos candidatos. Eu estou com eles. Eu quero que eles se joguem, que eles acreditem, e, independe deles cantarem bem, o importante é fazer o que gosta de verdade, acreditar, se jogar pra valer.

NT – A gente viu lá fora gente de todo o Brasil. Dá pra notar que eles se entregam de corpo e alma e isso é bom. O que acha?

MM – Nossa! Isso é demais. Porque isso faz o programa acontecer. A gente está aqui atrás de um ídolo e se a pessoa não está acreditando, a gente não tem um programa pra mostrar.

NT - Além de voz, tem gente que tem estilo, não é?

MM - Tem. E tem gente que só tem estilo, porque de voz não tem nada.

Do Na Telinha | Imagens: Antonio Chahestian / TV Record / Montagem

0 comentários:

Postar um comentário

leia também