"Estamos colocando a casa em ordem", afirma Marcelo de Carvalho sobre crise na Rede TV!

quinta-feira, 1 de março de 2012

Marcelo de Carvalho, vice-presidente da Rede TV!, falou sobre a crise financeira pela qual a emissora vem passando desde o meio do ano passado. Em coletiva para a imprensa ao lado do presidente da emissora, Amílcare Dallevo, nesta quinta-feira (1), ele admitiu que houve atrasos nos pagamentos dos funcionários, mas garantiu que o canal está se restabelecendo. “Houve três fatores muito importantes que explicam o porquê dos atrasos: a Globo ter comprado os direitos para exibir o Clube dos 13. Com isso, ficamos sem o faturamento da série B; a Globo também ter comprado os direitos do UFC, que antes era transmitido pela Rede TV!; e a crise nacional. A emissora está em crise sim. Mas estamos colocando a casa em ordem”, explicou Marcelo.

Marcelo afirmou que a má fase da emissora ainda deve durar por um período. “Vamos ter cortes, demissões e fechamento de algumas unidades que não são rentáveis. Mas claro que também teremos contratações e novas unidades”, disse ele, ressaltando que nunca atrasou por mais de 15 dias o pagamento de seus funcionários. “Entre pagar pontualmente os grandes parceiros, como Tutinha [dono da Jovem Pan] e o Emílio [Emílio Surita], e os funcionariozinhos CLT, preferimos pagar os funcionários menores, como toda empresa faz. Os atrasos dos funcionários que eram PJ eram de 10 a 15 dias. Já com os CLT, o atraso era bem menor, quase não teve”, destacou.

“O Emílio é um mal-agradecido”, diz Marcelo de Carvalho

Marcelo de Carvalho contou que soube da saída do “Pânico na TV!” para a Band através das notícias veiculadas em sites e jornais. “Fomos informados pela mídia e por fofocas de corredores, pela famosa rádio-peão. Eles nos pegaram de surpresa”, afirmou.

Amílcare Dallevo falou sobre o atraso no pagamento dos salários à equipe do programa. “Houve sim. Foram 12 dias. Mas quando soubemos da saída deles, no dia todos os salários já estavam pagos. O ‘Pânico’ estava com a gente há nove anos. Acho que o atraso não era motivo para saída”, afirmou.

O presidente da Rede TV! disse que a produção do humorístico era a mais cara da casa. “Mas ao contrário do que diziam por aí, o programa representava apenas 12% do faturamento da emissora. Financeiramente, a saída deles não teve impacto nenhum”, garantiu.

Amílcare contou que ficou surpreso com a quantidade de matérias que saíram sobre a crise na emissora, especialmente com as que diziam que os apresentadores Amaury Jr. e Hebe Camargo também sairiam do canal. “Fiquei com a impressão de que o último a sair apagaria a luz. Dava a impressão de que eu e o Marcelo também iríamos sair”, afirmou.

Marcelo ressaltou que o faturamento da Rede TV! em 2011 foi de R$500 milhões. “Não tem a menor procedência dizer que o ‘Pânico’ dava tanto lucro para a emissora. É normal a troca de artistas e de canal. O que me causa estranheza é a maneira como as coisas foram feitas. Ninguém falou nada, fiquei sabendo pela rádio peão”, reafirmou.

Marcelo afirmou que a relação da emissora com o programa não estava desgastada. “Pensávamos, inclusive, em renovar o contrato. Realmente o programa dava uma boa audiência. Mas analisando contratualmente, não sei se valia a pena continuar”, disse.

O vice-presidente da Rede TV! disse que o programa era o que tinha mais regalias dentro da emissora. “O Tutinha sempre cantou de pobrezinho e tal. Isso não é verdade. Enquanto o ‘Pânico’ estava aqui, eles tinham 60 carros disponíveis. Ano passado, eles fizeram várias viagens para o exterior, como quando o Impostor foi ao casamento da Kate Middleton. Eles tinham helicóptero, cenário virtual, edição particular”, afirmou.

Marcelo criticou Emílio Surita, que, segundo ele, alegou não ter estrutura na Rede TV! “Tutinha e Emílio recebiam metade do faturamento do ‘Pânico’. O restante tínhamos que dividir entre os outros humoristas e a produção. É uma mentira, uma injustiça, uma sacanagem ele dizer isso. Nós vamos tomar as medidas legais por danos morais. Eu desafio o Tutinha e o Emílio a mostrarem seus contratos individuais com a Band”, afirmou.

Marcelo afirmou que, além de a audiência do “Pânico” estar declinando, o programa também estava apresentando uma queda na qualidade. “O programa passou a usar o sexo e a fazer piadas com deficientes para alavancar a audiência. E isso já não estava agradando nem mesmo o mercado publicitário. Tivemos dificuldades em renovar contratos comerciais. Em nenhum momento, estou desmerecendo o ‘Pânico’. Ele era sim muito importante para e emissora. Mas já não estava batendo os 12 pontos de audiência que já chegou a bater”, analisou.

Amílcare contou que a Rede TV! não irá mais reapresentar o “Pânico”. No lugar do programa serão exibidos dois filmes. “Ainda vou conversar com o departamento jurídico sobre isso porque o ‘Pânico’ ainda não pode ser apresentando em nenhuma outra emissora”, disse.

O presidente da Rede TV! afirmou que de agora em diante usará toda a estrutura da emissora em outros programas. “Vamos poder investir mais. Vamos ter um programa semanal com o Dr. Rey, ainda sem data definida. Também vamos exibir os debates políticos estaduais de primeiro e segundo turnos”, adiantou.

Do UOL Televisão | Imagem: AgNews

0 comentários:

Postar um comentário

leia também