Edição do Troféu Imprensa 2012 foi questionável, mas divertiu

segunda-feira, 26 de março de 2012

Mas tão risível quanto o programa em si, foram alguns candidatos finalistas dentro de algumas categorias. Para ganhar o prêmio, os três finalistas eram escolhidos entre cinco dos jurados presentes. Irei analisar apenas as categorias que mais me dizem respeito: Novela, Ator e Atriz.

Das três finalistas ao Troféu Imprensa de Melhor Atriz do ano passado, achei que o resultado não poderia ser mais justo. E qualquer uma das que ganhasse seria um bom resultado: Glória Pires – por Norma em Insensato Coração (a minha escolha), Lília Cabral e Christiane Torloni – por Griselda e Tereza Cristina em Fina Estampa. Outras atrizes que atuaram no ano passado também poderiam ser citadas: Cássia Kiss por Morde e Assopra, Lília Cabral pela série Divã, Regina Duarte por O Astro, Beth Goulart por Vidas em Jogo e pelo menos quatro atrizes da novela A Vida da Gente, Fernanda Vasconcellos, Marjorie Estiano, Nicette Bruno e Ana Beatriz Nogueira (uma novela feminina por excelência).

A revelação dos candidatos a Melhor Novela de 2011 causou estranheza pela presença da novela teen Rebelde, da Record (as demais foram Cordel Encantado e Fina Estampa). Não desmerecendo Rebelde, o estranhamento está no fato de haverem outras candidatas bem mais fortes e representativas, como Vidas em Jogo, da própria Record, e Insensato Coração, Morde e Assopra, O Astro e A Vida da Gente – indiscutivelmente novelas que tiveram mais repercussão que Rebelde.

Mas o que coroou esta divertida noite de Troféu Imprensa foi sem duvida o pronunciamento aos candidatos a Melhor Ator: Gabriel Braga Nunes por Léo em Insensato Coração(merecido), mais Caio Castro por Antenor em Fina Estampa e Chay Suede por Tomás em Rebelde. Eu vou me abster de discutir a presença dos nomes de Caio Castro e Chay Suede. Apenas lembrarei que 2011 contou com as performances de Marcelo Serrado por Crô em Fina Estampa, Herson Capri por Cortez em Insensato Coração, Humberto Martins por Neco em O Astro, Domingos Montagner por Herculano em Cordel Encantado e André Gonçalves por Áureo em Morde e Assopra.

E o tal Troféu Internet, o prêmio que acompanha o Troféu Imprensa já há alguns anos, torna a situação ainda mais engraçada, beirando o constrangimento: os fãs da novela Rebelde promoveram uma força tarefa na Internet e conseguiram elege-la em todas as categorias possíveis: Melhor Novela, Melhor Ator (Chay Suede), Melhor Atriz (Mel Fronckowiak, que ainda levou o prêmio como Revelação) e melhor conjunto musical (Rebeldes). Parabéns ao #RebeldeTeam! Uma prova de que são bem unidos.

Não vou questionar as regras e critérios para a votação ou escolha dos candidatos aos prêmios. Mesmo porque, se analisarmos os jurados, também parece não haver um critério muito homogêneo com relação às suas escolhas. Décio Piccinini, por exemplo, justificou seu voto de melhor novela a Fina Estampa alegando que ela merece porque foi a maior audiência do ano passado. E Sônia Abrahão parabenizou por Rebelde estar entre as finalistas, já que a novela não é da Globo – desmerecendo assim novelas melhores que deveriam estar lá, independente de emissora.

Se a escolha dos candidatos ao Troféu Imprensa se dá por meio de votação na Internet, o perfil de votantes torna-se bem limitado. E o critério “melhor” pode ser bastante questionável. Usando jargões da própria Internet: “Tem que ver isso aí!”. Ou “Critérios, não trabalhamos”. Ou ainda: “#puxado!”

Jurados: José Armando Vannucci, Nelson Rubens, Sonia Abrão, Paulo Barboza, Leão Lobo, Keila Jimenez, Décio Piccinini, Valença Sotero, Paulo Cabral e Regina Rito.

Do blog de Nilson Xavier | Imagem: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário

leia também