Tumor de Lula diminui e cirurgia está descartada, afirmam médicos

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Os médicos que cuidam do tratamento de Luiz Inácio Lula da Silva afirmaram em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (12) que o tumor na laringe do ex-presidente, diagnosticado no final de outubro, reduziu 75% e, portanto, uma cirurgia está "totalmente" descartada.

Segundo os médicos, a redução era esperada, mas foi considerada bastante expressiva, surpreendendo a equipe. “Estamos muito satisfeitos, o tratamento atingiu todos os objetivos”, disse o médico Paulo Hoff.

Lula chegou por volta das 7h30 de hoje ao hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para a terceira e última sessão de quimioterapia. "O presidente fez exames de imagem, PET (tomografia por emissão de pósitrons), tomografia e ressonância, e os exames mostraram que houve redução de 75% do tumor. O quadro geral e o quadro químico é muito bom", disse o chefe da equipe, Roberto Kalil Filho. Segundo ele, a terceira sessão de quimioterapia começou essa tarde, negando informações de que a sessão teria sido adiada para amanhã.

De acordo com a equipe médica, Lula estava apreensivo antes dos exames e ficou aliviado ao receber os resultados.

Assim como na primeira sessão de quimioterapia, realizada no último dia 31 de outubro, e na segunda, realizada no dia 20 de novembro, o ex-presidente deve passar a noite no hospital para acompanhamento médico e análise dos possíveis efeitos colaterais comuns em pacientes submetidos ao tratamento.

Lula será submetido também a sessões de radioterapia entre janeiro e março de 2012. A expectativa é de que o tratamento esteja concluído em março. "Se existe um caminho para a cura, passa por esse estado [de redução]. Mas cura é um diagnóstico retrospectivo", disse o médico Artur Katz.

A equipe médica também informou que a rouquidão do ex-presidente melhorou. “A rouquidão diminuiu muito e isso é reflexo da redução do tumor”, disse Paulo Hoff. O tratamento por radioterapia, entretanto, pode voltar a causar rouquidão já que costuma inflamar a garganta.

Lula se antecipou a um dos efeitos colaterais da quimioterapia e cortou o cabelo e a barba, uma de suas marcas registradas, que ele vinha usando desde os tempos de sindicalista. Do visual tradicional do ex-presidente, restou apenas o bigode.

O câncer

O tumor foi diagnosticado no último dia 29 de outubro, dois dias depois do aniversário de 66 anos de Lula. O ex-presidente procurou ajuda médica após se queixar de constantes dores de garganta e apresentar rouquidão considerada acima do normal. Na época, o tumor tinha aproximadamente 3 centímetros, considerado de agressividade média.

A laringe é um órgão situado na região do pescoço e tem funções respiratórias relacionadas ao aparelho vocal. O câncer de laringe atinge principalmente homens e é um dos mais comuns na região da cabeça e pescoço.

Segundo o Instituto do Câncer (Inca), fumantes têm dez vezes mais chances de desenvolver câncer de laringe de que pessoas que não fumam. O câncer de laringe representa cerca de 25% dos tumores malignos na região da cabeça e pescoço. Dois terços dos tumores do gênero ocorrem na corda vocal.

Do UOL Notícias | Imagem: Sebastião Moreira / EFE

0 comentários:

Postar um comentário

leia também