Família do piloto da Record ainda não foi indenizada

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Como existem comentários no meio e alguns não têm pleno conhecimento de tudo, é preciso colocar as coisas como de fato são.

No ano passado, 10 de fevereiro, portanto há quase um ano, por volta de 7h30, o helicóptero da Rede Record caiu no Jockey Club em São Paulo, matando o piloto Rafael Delgado Sobrinho, de 45 anos.

Existe, como se sabe, toda uma burocracia a ser contornada, mas a viúva, Nilvana dos Santos, está passando por sérias dificuldades. A indenização prometida, segundo ela, não saiu porque até agora a documentação não foi completada. Nilvana e sua família têm sobrevivido com a pensão do INSS, cerca de R$ 2,5 mil por mês, dos quais R$ 2 mil são destinados ao pagamento da escola de uma filha, deficiente. Alguns bens pessoais foram vendidos ao longo dos últimos meses para ajudar na manutenção da casa. Rafael deixou três filhos, um do casamento anterior.

A Record, procurada, informou que a seguradora já fez dois pagamentos relativos ao Seguro de Vida e Seguro Obrigatório. Não informa os valores. Falta a indenização, que depende de um alvará e da certidão de divórcio do primeiro casamento. A Record, por fim, informa que, a pedido da viúva, está prestando assessoria jurídica ao caso.

Do UOL Televisão | Imagem: Internet

0 comentários:

Postar um comentário

leia também